quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Quero ser...


Quando o sol se deitar e o frio da noite cair
Quero ser a tua sede a fragrância e o elixir

Quando as aves se calarem e o sonho tiver acabado
Quero ser a sinfonia do presente e do passado

Trago rios de palavras que transbordam o meu ser
Segredos por desvendar e amor por acontecer
Trago o brilho das estrelas e os sorrisos da lua
O meu corpo em aguarela e a minh’alma pura e nua

Quando o Outono terminar e o Inverno tiver chegado
Quero ser a tua gruta de encontros com o pecado

Quero ser a tua história a referência e a memória
O fruto proibido num oásis em êxtase de licor
O delírio do teu leito em perfeita tempestade de amor.



11 comentários:

Maria disse...

A Maria está aqui para te dizer OLÁ! Paula, mulher apaixonada da vida, continua o teu caminho sempre entregue ao AMOR, também, INCONDICIONAL... Beijinho da tua "companheira de viagem". ATF. BFSP. NTECMP.

Alvaro Oliveira disse...

Belo este seu poema.
Depois do quanto disse sobre a
genialidade da Paula, que mais posso eu dizer?
Apenas desejo a possibilidade
de ler a sua poesia ao longo de
muitos anos.
Parabéns Paula. Bjs.
Álvaro Oliveira

Benó disse...

Mais un lindo poema dum desejo amoroso bem explicito.


Um bom fim de semana,Paula.


Um abraço.

O Profeta disse...

Poesia de profundo sentir...


Doce beijo

João Videira Santos disse...

É rios de palavras que se envolvem os sentimentos e estes desaguam na fantasia criativa de quem vive, ama e sofre...

Um beijo

(obrigado pela visita e gentileza do comentário)

Carlo Rochas disse...

Querida Paula,

Quando escreveu no ultimo comentário “ cada visita, cada surpresa” posso replicar “ cada visita, muitas surpresas”… e depois tornasse sempre árduo sentir o que se lê e não perder-se no pensamento de ser ou não. Desejos de um excelente fim de semana frutuoso e bem perto do calor do Inverno que se aproxima.

Beijo sereno.

Nilson Barcelli disse...

Já li o poema há dias e estava convencido que tinha comentado...
Poemas perfeitos não há, mas este soou-me a perfeito. Palas imagens poéticas, pela sonoridade, pelo conteudo, etc., etc. Cara amiga, é um grande poema. Parabéns pela tua inspiração (e muito suor, eu sei...).
Bom fim de semana.
Beijinhos.

José António disse...

Olá amiga Paula;

Sem querer mais repetir-me, apenas se me oferece dizer, "mais um belo poema da Paula".

Como tudo parece tão fácil, quando de nós brotam palavras que ditam o que nos vai na alma.

Como é possível de um modo simples transmitir um AMOR que presumo sempre latente e profundo em cada palavra, em cada verso, em cada poema.

Continua a presentear-nos com tão bela poesia.
Bom fim de semana.
Beijos deste teu amigo
José António

fatima tome disse...

Olá amiga, a gripe trouxe-me de volta ao teu blog, só assim arranjei tempo, mas pelo que vejo tambem tens estado um pouco preguiçosa. Lado positivo da gripe deu para ler mais um poema maravilhoso, mais um elogio ao Amor. Belo como sempre. Hoje também publiquei um de Natal, passa por lá. Beijokas

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Querida Paulinha elmânica

Como vão os golfinhos? A inspiração não falta. Excelente.

E, já agora, Bom Natal e melhor 2009, apesar da crise

Qjs

Libertino Liberto disse...

Muito bonito.