quinta-feira, 30 de abril de 2009

Meu Sado...

És um espelho prateado
Quando a lua te irradia
O teu perfume doce e alado
Dança no vento em alegria

Abraças quem te visita
E mostras a tua riqueza
E só quem te vê acredita
Que beijas a natureza

Meu Sado, meu Sado
Manto azulado
Pedaços de Mar
Hino á alegria
Seja noite ou seja dia
Eu irei sempre te amar

Meu Sado, meu Sado
Pelo sol coroado
Meu rio da sorte
Em tudo és diferente
Até a tua corrente
Vai do Sul para Norte

Ofereces a brisa á cidade
Mal acorda um novo dia
E frutos da melhor qualidade
Com sabores a maresia

Na bela praia de Tróia
Tens o altar da Protectora
Meu Sado tu és a jóia
Do Rosário da Nossa Senhora.



7 comentários:

Osvaldo disse...

Olá Paula;

Bonita homenagem a um dos mais belos rios de Portugal e certamente com a foz mais doce que nos refresca a retina.

Já passei belos momentos nas margens do nosso Sado.

Belo poema que o Sado te fica reconhecido.

bjs e bom domingo,
Osvaldo

Vieira Calado disse...

Gentil o seu poema, em louvor dum belo rio!

Bjs

Anónimo disse...

Quando se ama é assim. E tu amas a nossa terra, o nosso rio ...

Por mim, há muito que escolhi
onde em cinzas vou descansar.

É no manto azulado. No nosso Sado.

Eduardo Pereira

Nilson Barcelli disse...

Cantar o rio amado é muito bonito.
E é tão fácil amar o Sado...
Escreveste mais um belo poema, que presumo possa ser cantado e onde todo o seu esplendor será bem visível.
Bom fim de semana.
Beijos.

ailedazav disse...

Se Gosto...
Viver... em Poesia!!!

Parabéns!!!
Voltarei...

Bjão
aileda

Ailime disse...

Amiga,
Lindo hino ao maravilhoso Sado!
Muita bela a sua poesia!
Beijinhos.

Nilson Barcelli disse...

Por onde andas rapariga, que nunca mais publicas nada...?
Espero que esteja tudo bem contigo.
Beijo.