quinta-feira, 9 de abril de 2009

A quimera...

Ouço o teu pranto em desalento
Em notas altas trazidas pelo vento
Que só o sangue sabe escutar
Sinto o teu grito nas entranhas
Com dores de mentiras tamanhas
De um falso enigma por decifrar

O teu sorriso há muito esquecido
Esboça um ar esmorecido
De quem já não sabe sonhar
És o caminho das lágrimas já cansadas
Que morrem ao longo dessas estradas
Que a tua mente quer olvidar

Voa em busca da verdade
Sente no vento a liberdade
E vive a primavera que te espera
Abre a porta da esperança
Quebra o pesadelo da má lembrança
E a tua vida será uma quimera.

10 comentários:

Osvaldo disse...

Olá Paula:

Verdade que nada é mais livre que o vento...

Que bom seria, se a brisa macia e terna que acaricia as faces queimadas e enrugadas, resolvesse todos os males do mundo.

Lindo, como sempre, este teu poema que nos refresca a alma.

bjs e Feliz Páscoa.

Osvaldo

Alvaro Oliveira disse...

Olá caríssima amiga Paula!

Estranho silêncio, mas
felizmente regressou ao
seu cantinho.Tinha saudades
da sua bela poesia, mas
com uma lindíssima quimera.
Saúdo-a, amiga Paula.

Um beijo

Alvaro Oliveira

Gui disse...

Uma bela mensagem de esperança e incentivo. Bem à maneira de Elmano Sadino. Um beijo Paula e uma santa Páscoa.

Vieira Calado disse...

Olá, minha amiga do Sado!


Desejo

uma Boa Páscoa, também para si.

Beijinosss.

Ao Sabor da Poesia disse...

Querida amiga Paula

Feliz com a tua visita obrigado amiga...
Lindíssimo o teu poema Parabéns

Tenha uma Páscoa iluminada junto com os teus familiares...

Beijos de carinho

manzas disse...

Desperto encostado á escura noite
Na velha e dura calçada do relento…
Na cama onde a chuva é açoite,
Agasalho-me com lençóis feitos de vento!

Grato sempre pela
Bem-vinda visita
E comentário!
Uma boa semana,
No abrigo da paz
E do amor!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Fátima disse...

Olá Paula!
Obrigada pela tua visita, é um prazer receber-te em minha humilde "casa".
Pois é na vida há mesmo que estabelecer prioridades.
Gostei muito do teu poema.

Deixo-te um beijo e um desejo de tudo a correr bem!

Chinha disse...

A liberdade do vento que transposta segredos e os leva para o mais recondito dos lugares.

A beleza do teu poema aqui presente

bjinhos

Nilson Barcelli disse...

Muito bonito, o teu poema. Com uma mensagem forte e clara.
Cara amiga, ainda bem que estás de volta. Tinha saudades das tuas reflexões.
Bom resto de semana.
Beijos.

O Profeta disse...

És uma espantosa Poetiza...


Doce beijo