sábado, 26 de janeiro de 2008

Onde moras tu? Oh Sorte...


Onde moras tu? Oh sorte
Que me deixas-te num rumo sem norte
Nesta noite de desespero

Trás até mim a esperança
Faz comigo a aliança
Que eu por ti ainda espero

Onde moras tu? Oh sorte
Necessito do teu braço forte
Para adversidades ultrapassar

Envia-me o brilho da alegria
Aquela que foi minha um dia
E que eu não consigo encontrar

Onde moras tu? Oh sorte
Diz-me o que faço com a morte
Que hoje me veio visitar

Convidou-me a sair com ela
Quis que embarcasse em sua caravela
Antes do dia acordar…

Onde moras tu? Oh sorte…
Que eu fui levada pela morte
E onde estou agora, não sei

Eu só queria a tua morada
Nela estava esperançada…
Mas contigo não me encontrei.

1 comentário:

efeneto disse...

Olá amiga. Venho deste modo agradecer a sua visita ao meu espaço mas esse espaço que visitou já é antigo e está desactivado.
Convidua a visitar o meu novo espaço "O grito do Poeta" em:

http://paginapoema.blogspot.com/

Virei visita-la coma atenção que merece.
beijo amigo.