segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Sou terra, sol e mar...


Sou terra
Quando ao escrever
Travo uma guerra

Sou sol
Quando a tempestade
Adormece o farol

Sou mar
Quando no amor
Queres naufragar

Sou terra, sol e mar
Serei o teu forte
Quando te abraçar

Sou a despedida
Jamais esquecida

Sou o silêncio
Que precisas ouvir
Sou a noticia
Que te faz sorrir

Fui, sou e serei…
Aquela que não importa a idade
Que se alimenta dia após dia
Com gotas de felicidade.

9 comentários:

João Videira Santos disse...

"Sou" é sempre uma afirmação, uma forma verbal que caracteriza o ser. Gostei.

Vieira Calado disse...

Assim seja!

Beijoca.

mundo azul disse...

...que bom! Alimentar-se de felicidade...


Gostei dos seus versos!


Beijos de luz e o meu carinho...

Nilson Barcelli disse...

Acho que este teu belíssimo poema te põe a nu, ou seja, revela o teu interior. Que achei bonito.
Mesmo ficção, os poemas acabam por revelar muito do que nós somos. Basta estar atento...
Beijinhos.

Fernando Rozano disse...

poesia muito densa, afirmativa e com signos muito ricos como a terra e sol. gostei muito. voltarei. meu abraço.

Késia Maximiano disse...

Lindas palavras...
Lindo blog...
bjão

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Quando as poetisas escrevem como a Paula, não só dignifican a arte das letras como dão uma imensa força à sobrevivência da cultura que por vezes tão mal tratada é...
Você diz que é "Terra, sol e mar" e eu acrescebtaria que a Paula é a excência cultural na sua plenitude.
bjs

ROSA E OLIVIER disse...

...sou terra...sol e mar!...lindo!...e o nosso querido Elmano Sadino...se vivo fosse ir-te-ia amar!...
"te amo em silencio...e só o silencio sabe..."...

baci.

ANTONIO CAMBETA disse...

SOU TERRA, SOL E MAR... ESTE BELO POEMA ME DIZ IMENSO E MUITP GRATO LHE FICO POR ME PROPORCINAR TÃO BELOS MOMENTOS O LENDO.

MEUS SINCEROS PARABÉNS.

UM ABRAÇO AMIGO

EX-MARINHEIRO, EX-MONJE E EX-POETA.