terça-feira, 18 de novembro de 2008

Hoje quero ser louca...

Quero ser louca 
Quando os nossos olhares se encontrarem
E quando disseres que me amas
Quando saborear o suco dos teus beijos
E quando a paixão se der em chamas

Quero ser louca
Quando os teus dedos delinearem o meu corpo
Como quem procura um tesouro perdido
Quando tu e eu formos um só
E quando a minh’alma te servir de brigo

Quero ser louca
E quero entregar-me por inteiro
E em loucura te direi
Que és tu o meu amor primeiro.


17 comentários:

Vieira Calado disse...

É sempre preciso um pouco de loucura, em certos momentos.

E há momentos mais certos do que outros...

Bjs

Nilson Barcelli disse...

Belo e sensual o teu poema.
Gostei muito.
A loucura, em certos casos, é um estado natural...
Beijinhos.

Benó disse...

...de louco todos nós temos um pouco....

Nos momentos poetisados compreende-se a loucura e é bom senti-la como a descreves.

Continua.

Abraços.

O Profeta disse...

Esta carícia de fresca brisa
Transporta a beleza de Oriente
Uma voz doce cede ao silêncio
Esta aurora acorda finalmente

A sombra perdeu-se na luz
Escuto o pranto e o riso na bruma
Palavras fugindo ao sentido
Lembranças perdidas na espuma


Boa semana


Mágico beijo

Alvaro Oliveira disse...

É belo este seu poema,que confirma
todas as palavras que já escrevi sobre a Paula.
É bom ser louco quando se ama,
A quem sabemos ser o nosso amor primeiro.
Um beijo

Cristina disse...

"Tudo o que nasce dentro de nós surge do coração, tudo que surge do coração nos faz feliz.
Uns dizem que é emoção, outros dizem que é energia, mas a felicidade sempre contagia."

Minha querida passei para te desejar um fds cheio de alegria.

Beijos doces

Gui disse...

Loucura boa essa, minha amiga. Nunca deixes te te curem dela. Alimenta-a porque te ajuda muito a ser feliz. Um beijo.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Paula, Abençoada Loucura... Belíssimo poema ... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Paulinha

Eu não sou muito de poemas - sou mais prosa. Mas aprecio poesia boa. E esta tua, como as outras mais, é-o. Muitos parabéns!

De resto, o teu blogue é atractivo, reforço, cahamativo, até. Acho que tens de estar contente e até orgulhosa dele - e dos poemas que escreves.

Se quiseres dar um salto ao meu
www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com
penso que irás gostar. Presunção e água benta, cada um toma a que quer... hahahahahahahaha

E o meu imeile ou imilio (primorosas criações cá do velhote) é:
hantferreira@gmail.com

Qual é o teu?

Qjs (queijinhos que rima com beijinhos)

ANTONIO MANUEL disse...

ILUSTRE POETISA, UM MARAVILHOSO POEMA NO QUAL O AMOR DESPONTA FORTE E NOS FAZ SENTIR LOUCOS.
E QUEM NÃO FICARÁ LOUCO QUANDO DOIS CORPOS AMANTES SE UNEM NUMA UNIÃO PERFEITA, SEJA OU NÃO O PRIMEIRO AMOR.

DO REINO DO SIÃO COM AMIZADE

ANTONIO CAMBETA disse...

O ANTÓNIO MANUEL SOU EU O KAM MEI TA, ANTÓNIO CAMBETA DE TERRAS DO SIÃO JUNTO DE SEUS AMORES.

Maria disse...

Bom Dia, Paulinha!

Muito Obrigada pelo BOM GOSTO com que me presenteia! É muito belo ...

Muito Obrigada por partilhar, comigo, sentimentos tão íntimos,que nessa sua transparência, expõem tanto de si e de mim...

Votos de domingo em PAZ!
AA, Beijinho.

Maria

Maria disse...

Querida Paulinha,

Apesar de um pouco extemporâneo, a propósito dos teus poemas "Odeio-te!" e "Estou Farta...",
quero dizer-te que, também eu, no meu dia a dia, vendo, cobardemente, a minha inteligência, o meu tempo, o meu conhecimento, o meu nome, a minha dignidade e idoneidade e consequentemente,identidade, princípios, ideais, valores e crenças, que se deixam absorver, numa mera transacção comercial, por meia dúzia de patacas, a entidades desconhecidas, com as quais não me identifico.
Falta-me a coragem para dizer: BASTA! DEIXEM-ME MORRER DE FOME A MIM E À MINHA DESCENDÊNCIA... QUEM SOU NÃO ESTÁ À VENDA!...

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Nada melhor, mais puro, sincero e humano que a loucura de um louco amor...
E isto tudo tu nos mostras nesta bela poesia...
Se amar é loucura, tudo que te desejo, é um louco amor.
bjs
Ps- As fotos e texto histórico sobre Setubal, cidade que conheço bem, será para breve.

Bárbara disse...

Que és tu o meu amor primeiro.


aquela sensação louca, sem dúvida do primeiro amor.
se tudos fossem assim, primeiros, na essencia, na pureza, na entrega, sem complicaçoes, porques desnecessarios, sem rancores ou quimeras. se tudo fosse unico com o sopro do coraçao...

é pena que esta sensação nao seja eterna...

Nilson Barcelli disse...

Cara amiga... e depois da loucura...?
Beijinhos.

O Profeta disse...

Sou palavra perdida no silêncio
Gerada no ventre do Mar
Grinalda de perdidos sonhos
O passado do verbo amar

Amei!
Voar na chegada de cada Primavera
Pintar de luz as cores do verão
Pisei o tapete das folhas de Outono
Acendi em cada inverno uma fogueira de paixão


Convido-te ao encontro com o meu “Eu”


Mágico beijo