terça-feira, 6 de outubro de 2009

Abandono...


Sai de mim e leva o teu abandono
Que hoje já não me tiras o sono
Como outrora já o fizeste
O amor já não exala no nosso quarto
De beijos e carícias ficaste farto
E as promessas de amor, já as esqueceste

Quero acordar pela manhã
Sorrir numa alegria sã
Sem me sentir estigmatizada
Serei eu uma mulher por inteiro
Nas margens deste ribeiro
Em que um dia a água foi maltratada

Ah! Agora vou ser mais eu!
Desligar-me-ei de tudo o que é teu
Para que nada me reste do passado
Leva contigo a violência
Junto com a tua demência
Porque eu não vou cantar mais esse fado

E se um dia vires passar na rua
Aquela que já foi tua
Com os filhos que não quiseste
Lembra-te sempre meu querido
O quanto te foi pedido
Aquando o amor que tu não me deste.

13 comentários:

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo texto...Espectacular....
Beijos

Alvaro Oliveira disse...

Olá Amiga Paula

O meu agradecimento pela visita e comentário.
Com alguma dificuldade, consegui ler seu belo poema (como sempre conheci sua poesia), mas também
no seu poema, transparece um sinal
de dor. São assim os poetas.

Amiga, vou registar-me como seu seguidor, julgo não haver impedimento.

Beijinhos

Alvaro

Benó disse...

Um poema cheio de sentimento dorido. Gostei muito, Paula.

Gui disse...

Cara Paula, a vida nõ para e o futuro é já ali. As nuvens negras serão levadas pelo vento e o sol voltará a brilhar intensamente. O amor voltará a exalar no teu quarto e a alegria sã voltará a tomar conta de ti. Um beijo.

Chinha disse...

Momentos na vida em que tudo se dá mas que tanto fica por receber, perdido na poeira do caminho.

Lindo e triste o teu poema

Gostei muito

Bjinho

ZezinhoMota disse...

Poesia muito forte e profunda...

Gostei...

Saudações poéticas do Porto-Portugal

ZezinhoMota

(A Poesia do Zezinho - http://zezinhomota.blogspot.com)

Nilson Barcelli disse...

Um fado zangado...
Gostei do teu poema, querida amiga.

Da próxima vez que for a Setúbal vou comer das tuas famosas bolachas...

Beijos.

Fa menor disse...

A libertação do pesadelo!
Muito bonito este poema de firme empenho em ser feliz!

Bjinhos

Alvaro Oliveira disse...

Olá Paula

Tem um selo em meu blog para meus amigos. convido-a a passar para o levantar. Espero aceite.

"Coração Lusitano" ao cimo da barra lateral

Beijos

Alvaro

O Profeta disse...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu

Onde param os teus anseios
Onde encontras a sublime calma
Nestes dias de dura tormenta
Onde aqueces a tua alma?

Voa comigo...


Mágico beijo

Mário Margaride disse...

Olá, Paula. Obrigado, pela visita e comentário ao meu "UNIVERSO DAS PALAVRAS".

Um lindíssimo poema.
Adorei!

Beijinhos...

Mário

Chinha disse...

Passei reli e desejo-te um bom domingo

bjitos

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDA PAULA, FIQUEI MUITO FELIZ COM A TUA VISITA E COMENTÁRIO... ADOREI O TEU BLOGUE E POEMA... LINDOS...!
ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA