quinta-feira, 21 de abril de 2011

O meu nome é Dulce...

Faço Pontes com o mundo
Portugal…um amor profundo
Que dou a conhecer
Na minha barca da fantasia
Mora a tristeza e a alegria
Na minha voz o "Renascer"

Passo na rua de manhãzinha
Na alvorada a "Laurindinha"
Acorda o meu cantar
Sou eu…a "Garça perdida"
Que chamou de novo á vida
A mais bela "Canção do mar…"

O meu nome é Dulce
E é esta a minha Sina
Cantar, cantar, cantar
Vivo nas vielas do fado
Sou o folclore mais amado
E nem a morte me há-de calar

Sou a "Cantiga da terra"
Mulher de paz mulher de guerra
Sou o "Fado Português"
Sou a "Lágrima" do coração
Talvez a "Lusitana Paixão"
Viajando de lés a lés

"Cuidei que tinha morrido"
Talvez fosse o coração ferido
Ou a minha "Estranha forma de vida"
Cantei "Amália por amor"
E a minha voz abriu-se em flor
Nos "Verdes anos" da vida.

1 comentário:

Os disse...

Mais uma vez, a veia está bem viva. A veia da poetisa, da Setubalense. Continua a oferecer-nos estas surpresas ...

Eduardo