sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Estou farta...


Estou farta de ser quem nunca fui
E de não ser quem realmente sou
Despi-me das falsas identidades 
E será assim que agora me dou

Não me peças para ser quem queres que eu seja
Porque das outras já não me resta nada
Serei assim, serei eu mesma
De representar fiquei cansada

Já não temo as tuas ameaças
O teu grito já não me intimida
Fui eu uma manta de retalhos
De quantas as mulheres que te passaram pela vida

Ah! Quanta loucura ainda vive em ti
E em quantos mares de lágrimas eu já naveguei
Por seres insano sonhos perdi
Mas agora basta! Porque hoje mudei.



11 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Salvé!

É sempre tempo de mudar... para melhor!
Desejo-lhe um bom fim de semana...
com mudanças....

Chinha disse...

Há sempre alturas na vida em que se impõe uma mudança.

Vive pois esses ventos de mudança

bjinhs

Osvaldo disse...

Olá Paula;
Quando entre dois seres há o respeito pelas diferenças, nada há a mudar nem ninguém terá que mudar.
Este poema, profundo de conteúdo, é um grito de revolta e este "estou farta" é um basta a uma situação que sempre se poderá evitar se o lado consentente tiver coragem de desde o inicio dizer não à mudança de personalidade que só levará quem muda para o que não é,... ao abísmo.
bjs, Paula.
Osvaldo

Benó disse...

Nem todos sabem conhecer a altura exacta para mudar.
Espero que tenhas encontrado a tua.


Uma boa semana.

Nilson Barcelli disse...

Ficção ou realidade, este teu excelente poema revela um estado de alma muito frequente, onde se torna inevitável o chamado murro na mesa.
Gostei mesmo muito do teu poema. Escreves bem... mas isso já tu sabes...
Beijinhos.

Carlo Rochas disse...

Agradeço os elogios da Paula, pelo menos a sua simpatia. Desigualdade que tenho que restabelecer ao escrever que a Paula é Inspiração e o seu sorriso é devorante. Mais além, do que dois traços de carvão ou de óleo a felicidade vem … de que forma , não sei. Um beijo sincero.

Luis F disse...

Ola amiga...

E sempre um prazer para mim, mergulhar neste Sado de tão belas e sentimentais palavras.

Bjs
Luis

João Videira Santos disse...

Gosto de palavras abertas, de renuncias sem subterfugios...gostei do que li.

Cristina disse...

Olá Paula,

Por vezes é necessário um basta!!!
Estamos sempre a tempo de mudar.

Intenso o teu poema, gosto de te ler Amiga.

Beijos carinhosos

Fátima disse...

Olá Paula!!
Este teu poema descreve o meu estado de espirito neste momento........
As vezes é mesmo necessario tomarmos uma atitude mais drástica na vida.
Acho que o problema de muita gente é se deixar acomudar perante certas situaçoes,e por preconceitos da sociedade nao querer fazer nada para mudar.....

Deixo-te um beijo e um desejo de uma optima semana!!!!

Anónimo disse...

Amiga viveste nestes últimos dias mais uma mudança na tua vida, por isso continua, vais conseguir conquistar todos os teus sonhos!!
Anita.